Mais de 4,6 milhões de Euros para desempregados e jovens em Portugal

Parlamento Europeu dá luz verde a 4,655 milhões de euros para desempregados e jovens inativos em Portugal

Relatório do eurodeputado, José Manuel Fernandes, aprovado em plenária por larga maioria.

O relatório do eurodeputado José Manuel Fernandes para a atribuição de 4,655 milhões de euros de apoio para jovens inativos e para desempregados do setor têxtil em Portugal, ao abrigo do Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização (FEG), foi aprovado hoje pelos deputados ao Parlamento Europeu, reunidos em plenário em Estrasburgo, com 575 votos a favor, 77 contra e 8 abstenções. 

Os mais de 4,6 milhões de euros destinam-se a financiar ações que promovam a reintegração no mercado de trabalho de 730 pessoas despedidas de empresas de têxteis e 730 jovens que não trabalham, não estudam, nem integram qualquer formação (NEET), nas regiões do Norte, Centro e Lisboa.

O eurodeputado do PSD e coordenador do PPE na Comissão dos Orçamentos considera “que este montante deve ter como destino os jovens e os desempregados e que não deve ser “desviado para financiar despesas correntes que devem ser assumidas pelo Orçamento do Estado. A mobilização de 4,65 milhões de euros é uma prova concreta da solidariedade da UE.  Este valor vai servir para melhorar o nível de qualificação e o desenvolvimento de competências das centenas de desempregados e de jovens inativos, respondendo assim às exigências e desafios do mercado de trabalho”.

O relatório chama ainda a atenção para a importância do Fundo Social Europeu, que deve ser usado na melhoria das qualificações dos trabalhadores portugueses e na redução do desemprego jovem e de longa duração.

A mobilização do FEG para Portugal surge na sequência do despedimento de 1.161 trabalhadores das empresas têxteis Ricon Group e Têxtil Gramax Internacional (abrangendo 609 pessoas na região Norte, 17 no Centro e 535 em Lisboa). Mais de 20% dos trabalhadores visados têm mais de 55 anos e 88% são mulheres.